Taitiano vence WQS, brasileiro é vice

Por alguns minutos, Jihad Kohdr, o único brasileiro a chegar até as finais do WQS seis estrelas prime de Haleiwa, chegou a sentir o gostinho de conquistar o título. Mas o taitiano Michel Bourez estava inspirado e deixou para o paranaense de Matinhos apenas o segundo lugar. O havaiano Kekoa Bacalso completou o pódio, seguido pelo havaiano Dusty Payne, em quarto.

Com segundo lugar na primeira jóia da Tríplice Coroa Havaiana, Jihad, que está em situação delicada no Circuito Mundial (43º), o WCT, passa do 20º para o quinto lugar no ranking do WQS, e garante a permanência na elite de 2009. Em agosto, o brasileiro também chegou à final do WQS seis estrelas prime da França. O taitiano passou de 17º para o segundo lugar depois do título e tambpem se classificou para o WCT.

– Eu sabia que algo ia acontecer aqui no Havaí. O ano de 2009 vai ser praticamente o meu primeiro ano no WCT – diz Jihad.

Nota 9,77 de taitiano define o campeão

Jihad saiu na frente na bateria final, mas logo perdeu o posto para o taitiano e o havaiano, que aproveitaram uma boa série de tubos e garantiram notas altas. A 8 minutos do fim, Jihad pegou uma boa direita, mas deixou a melhor onda da série passar para Michel Bourez. O taitiano arrancou 9,77 e praticamente definiu com quem ficaria o título.

Jihad até tentou ameaçar o taitiano, mas conseguiu apenas tirar o vice do havaiano no fim, somando 16,50. Bourez, que dedicou o título ao Malik Joieux, big rider taitiano que morreu em pipe em 2005, fez 16,77, e Kekoa, 15,83.

Jihad vence suas baterias nas quartas e semis

Desde as quartas-de-final, Jihad era o único representante brasileiro. Nesta fase da disputa, ele conseguiu avançar para as semifinais após conquistar a melhor soma (14,16) de sua bateria, que era formada ainda pelo australiano Joel Parkinson (13,40), o havaiano Dustin Barca (10.27) e o americano Tim Reyes (0).

Nas semifinais, mais uma vez o brasileiro levou a melhor em sua bateria. Com ondas menores que a fase anterior, as notas foram baixas, mas Jihad conseguiu somar 4,83 e avançar para a grande final da competição. O havaiano Dusty Payne ficou logo atrás (4,27), seguido pelo australiano Joel Parkinson (3,90) e pelo australiano Bede Durbidge (0,80), vice-líder do WCT.

– Dedico essa vitória ao meu amigo Malik Joyeux – diz Michel Bourez, referindo-se ao surfista de ondas grandes que morreu em 2005, em Pipeline, dias antes de a etapa do WCT começar.

Depois de Haleiwa, o circuito de acesso terá mais uma etapa seis estrelas prime. Será em Sunset. De lá, apenas os integrantes do WCT disputam o Pipeline Masters, último desafio da temporada.

Ranking WQS:

1 Nathaniel Curran (EUA) 13200
2 Michel Bourez (TAH) 12775
3 Chris Davidson (AUS) 12525
4 Gabe Kling (EUA) 12476
5 Jihad Khodr (BRA) 12150
6 Josh Kerr (AUS) 12075
7 Kekoa Bacalso (HAV) 11913
8 Nic Muscroft (AUS) 11900
9 Tim Boal (FRA) 11888
10 Tiago Pires (POR) 11750
11 Dustin Barca (HAV) 11726
12 Greg Emslie (AFS) 11626
13 Drew Courtney (AUS) 11600
14 Marlon Lipke (ALE) 11450
14 David Weare (AFS) 11450


Tags: , , , , , , ,

Não encontrou o que queria? Pesquise abaixo no Google.


Para votar clique em quantas estrelas deseja para o artigo

RuimRegularBomMuito BomExcelente (Seja o primeiro a votar)
Loading...



Enviar postagem por email Enviar postagem por email