Estreia de Rivaldo tem golaços e vitória de virada do São Paulo sobre o Linense

rivaldo-spfc

Rivaldo distribuiu chapéus, uma bola por entre as pernas e de quebra ainda fez um golaço em sua estreia na vitória de virada do São Paulo por 3 a 1 sobre o Linense, nesta quinta-feira à noite no Morumbi.

A atuação não foi nota 10, mas elevou a autoestima dos são-paulinos presentes, que andavam desconfiados sobre o que esperar do time este ano. Quase 15 mil torcedores foram ao estádio.

Com o resultado, o Tricolor foi a 12 pontos, terminando a sexta rodada do Campeonato Paulista na quarta posição. O time de Lins ficou em 15º, com cinco.

Bons passes, caneta que não valeu e cansaço
O craque desde o início assumiu a responsabilidade de vestir a camisa 10 tricolor. Foi dele o primeiro toque na bola e, logo aos dois minutos, acertou um belo lançamento cruzado, da esquerda para a direita, para Dagoberto. O atacante ajeitou para Jean, que arriscou de fora da área.

Paulo Musse defendeu bem, em dois tempos. Pouco depois, Rivaldo tentou seu primeiro chute a gol, mas não pegou bem na bola, que foi facilmente dominada pela zaga adversária.

Aos 10, o Linense assustou Rogério Ceni. André Luís arrancou pela esquerda e cruzou para a área. A bola desviou em Jean e quase encobriu o goleirão.

O jogo era morno, com os dois times preferindo toques curtos, sem tanta velocidade. Aos 20, Rivaldo cobrou falta da esquerda e quase enganou Paulo Musse, que teve que se esticar todo para evitar o gol, de soco.

Mesmo com mais posse de bola, o São Paulo enfrentou os mesmos problemas de sempre: sem um homem de referência, muitos passes para o lado, poucas jogadas de linha de fundo e Dagoberto perdido entre os zagueiros, tentando fazer o papel do camisa 9 que o time ainda não tem.

O panorama só mudava um pouco quando o atacante abria pelas pontas ou saía da área. Com triangulações ou tabelas esporádicas, o Tricolor conseguia levar mais perigo, principalmente pela direita, com Ilsinho e Jean, que vez por outra até trombavam entre si.

O Linense, muito recuado e com uma forte defesa, até tentava assustar nos contra-ataques, mas esbarrava sempre na bem postada defesa são-paulina.

Aos poucos, Rivaldo foi dando sinais de cansaço, ficando longe da bola. Aos 36, acertou um lindo drible entre as pernas de Marcelo Santos e levou a torcida ao delirio. O lance já estava parado, já que o meia havia sofrido falta. Mas valeu pela plasticidade.

Aos 42, mais trabalho para Ceni: Marcus Vinícius mandou uma bomba de longa distância, e o goleiro tricolor se esticou todo para mandar a bola pela linha de fundo. E esse foi o último lance de perigo do primeiro tempo.

Golaços de Rivaldo e Ceni
O camisa 10, mesmo cansado antes do intervalo, retornou para o jogo. E Carpegiani optou por uma alteração: Marlos no lugar de Ilsinho.

Mal o segundo tempo começou, o Linense teve um gol anulado. André Luiz estava adiantado. Mas, aos seis minutos, não teve jeito. Após cruzamento da esquerda, Miranda afastou mal, e Eric acertou um chute sem defesa, à direita de Ceni.

Pouco depois, a marca do craque. Aos 11, Rivaldo recebeu de Dagoberto na entrada da área, deu um chapéu em Bruno Quadros com a coxa esquerda e tocou na saída de Paulo Musse.

Empolgado com o gol, Carpegiani resolveu mandar o São Paulo em busca da vitória e colocou Fernandão no lugar de Zé Vitor e o zagueiro Luiz Eduardo na vaga de Juan. Com as alterações, o esquema mudou para o 3-5-2, com Fernandinho sendo deslocado para a ala esquerda.

E o time foi mesmo para cima, impulsionado pela torcida e conseguiu a virada. Dagoberto tocou para Marlos, que entrou pela esquerda e soltou uma bomba no ângulo direito do goleiro do Linense, aos 18: 2 a 1.

Aos 27, um lance curioso. Mesmo visivelmente cansado, Rivaldo ajudava a defesa e foi cobrir o avanço de Jean quando Marcus Viníucius tentou uma jogada pela esquerda.

O camisa 10 se esticou todo para tentar desviar a bola. Não conseguiu, mas mostrou muita raça. Aos 38, um chapéu para trás, em mais um lance de arte do craque.

Logo depois, aos 40, o ídolo maior em ação. Falta na entrada da área, os dois ficaram lado a lado, mas quem cobrou foi Rogério Ceni, no ângulo direito de Musse.

O segundo gol dele no Paulista, e o 97º na carreira, segundo as contas do clube. Na comemoração, um abraço apertado no camisa 10.

Quase no fim, Jean fez uma linda jogada pela direita e chutou forte, para uma bela defesa do goleiro do Linense. Aos 47, o adversário ainda teve tempo de fazer o segundo.

Após bate rebate na área, a bola sobrou para Alessandro Cambalhota, que acertou o ângulo direito de Ceni. Apito final e ânimo renovado para todos os tricolores. ‘Rivaldo, Rivaldo’, cantaram.

Na próxima rodada, o São Paulo enfrenta o Botafogo, domingo, às 19h30m (de Brasília) em Ribeirão Preto. O time de Lins encara a Ponte Preta, na quarta, dia 9, às 19h30m, em Campinas.

fonte: GLOBOESPORTE.COM


Tags: , , , , , , , , , , , ,

Não encontrou o que queria? Pesquise abaixo no Google.


Para votar clique em quantas estrelas deseja para o artigo

RuimRegularBomMuito BomExcelente (Seja o primeiro a votar)
Loading...



Enviar postagem por email Enviar postagem por email