Uso de antirretroviral por pessoas sadias reduz transmissão do HIV

comprimido-reduz-risco-de-infeccao-hiv

O uso de um único comprimido diário reduziu em até 73% o risco de infecção pelo vírus HIV, segundo dados de dois estudos envolvendo mais de cinco mil casais heterossexuais (com um dos parceiros HIV positivo e o outro negativo) do Quênia, Uganda e Botsuana, na África.

As pesquisas foram realizadas com as drogas antirretrovirais Viread (tenofovir) e Truvada (a combinação de tenefovir e emtricitabina). Coordenado pelo Centro Internacional de Investigação Clínica da Universidade de Washington, o maior estudo acompanhou 4.758 casais sorodiscordantes (um é HIV positivo) no Quênia e em Uganda.

A todos foram oferecidos preservativos femininos e masculinos, e os cônjuges não infectados pelo HIV receberam ainda um antirretroviral ou placebo. No grupo que tomou tenofovir ocorreram 62% menos infecções. Entre os casais que receberam Truvada este índice alcançou 73%, quando comparados ao grupo que tomou placebo.

O outro estudo ficou sob a responsabilidade do Centro para Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos e acompanhou 1.200 homens e mulheres de Botsuana. Eles tomaram diariamente um comprimido de Truvada ou um placebo. Entre os participantes que seguiram a recomendação, foram registrados 63% menos contágios em relação ao grupo placebo.

“Novos instrumentos eficazes contra o HIV são urgentemente necessários e esses tudos podem ter enorme impacto na prevenção da transmissão heterossexual”, afirmou Margaret Chan, diretora-geral da Organização Mundial de Saúde.

A Aids já matou quase 30 milhões em todo o mundo. No Brasil, de acordo com o boletim epidemiológico de 2010 do Ministério da Saúde, são 592.914 mil casos notificados da doença no país. Desses, 65,1% são homens, sendo que nos últimos 30 anos, 229.222 brasileiros morreram em decorrência da doença.

De acordo com o Programa das Nações Unidas sobre Aids/HIV e a OMS, o resultado dessas pesquisas terá um grande impacto na prevenção do contágio pelo HIV.

Os dados, dizem especialistas, indicam que a pandemia de Aids, que tem se intensificado nas últimas três décadas, pode ser contida. As drogas Viread e Truvada estão disponíveis em versões genéricas e custam menos de R$ 0,40, cada.

Bons resultados em casais heterossexuais
O benefício foi tão evidente que, por questões éticas, os pesquisadores suspenderam o uso de placebo e passaram a oferecer a todos os casais participantes os comprimidos antitrretrovirais.

“Este é um grande avanço científico. Esses estudos poderão nos ajudar a atingir o ponto de inflexão na epidemia de HIV”, disse Michel Sidibé, diretor executivo do Programa das Nações Unidas sobre HIV/Aids.

Os resultados das pesquisas na África somam-se à evidência crescente de que os antirretrovirais, medicamentos receitados desde meados dos anos 90 para tratar pessoas já doentes, também podem ser um ótimo recurso para reduzir ou mesmo interromper a disseminação da Aids.

“Nossos resultados demonstraram claramente que o tratamento é eficaz em casais heterossexuais”, disse Jared Baeten, professor da Universidade de Washington.

Até recentemente, a prevenção da infecção por HIV era focada na mudança de comportamento, no incentivo ao uso de preservativos, na redução do número de parceiros sexuais e na abstinência sexual.

No último ano, porém, o tratamento com drogas como Truvada mostrou que houve uma redução nas taxas de infecção em homens homossexuais, e o uso de um gel vaginal diminuiu a índice de contágio em mulheres heterossexuais. Além disso, uma vacina contra a Aids foi parcialmente eficaz num ensaio aplicado na Tailândia.

fonte: Agência O Globo


Tags: , , , , , , , , , , , ,

Não encontrou o que queria? Pesquise abaixo no Google.


Para votar clique em quantas estrelas deseja para o artigo

RuimRegularBomMuito BomExcelente (Seja o primeiro a votar)
Loading...



Enviar postagem por email Enviar postagem por email