Gilberto critica arbigragem de Leandro Vuaden e anuncia fim da carreira como jogador

gilberto-cruzeiro

Após o empate em 1 a 1 entre Palmeiras e Cruzeiro, no Pacaembu, uma declaração chamou a atenção de todos. O meia Gilberto, muito irritado com a marcação do árbitro Leandro Pedro Vuaden, que assinalou pênalti em João Vitor, aos 45 minutos do segundo tempo, anunciou o fim da carreira. Para o atleta celeste, tem havido perseguição por parte da arbitragem brasileira.

– No jogo contra o Corinthians, em uma jogada com o Jorge Henrique, o Vuaden me deu um amarelo e, depois, um vermelho. Não aguento mais jogar com o Vuaden nem com o Paulo César Oliveira. Então, é melhor parar de jogar. Estou encerrando a carreira. A arbitragem está muito difícil

O árbitro da partida, Leandro Pedro Vuaden, disse que não se preocupa com as declarações de Gilberto.

– Não é dessa forma que eu trabalho no futebol. Tem que ter tranquilidade sempre. Vou continuar fazendo meu trabalho.

O meia foi um dos sorteados para o antidoping. Assim que deixou a sala de exames no Pacaembu, Gilberto, com a cabeça mais fria, não voltou atrás, mas disse que ainda precisa conversar com o presidente do Cruzeiro, Zezé Perrella, já que ainda tem um contrato em vigor.

– A tendência é que eu converse com o presidente e, depois, marque uma entrevista para explicar a situação. Eu conversei com o Vuaden, no jogo contra o Corinthians, ele me deu um cartão amarelo e, depois, o vermelho. Fiquei de fora e prejudiquei a equipe. Ele marcou uma falta, e eu perguntei se ele não gostava de mim. Depois, marcou uma penalidade que não foi. Eu disse que ia parar de jogar por causa dele. Eu trabalho, tenho 36 anos, já sofri com situações parecidas. Faltam três meses para acabar o ano, mas acho que já é a hora. Os erros de arbitragem são graves.

Gilberto chegou a citar erro de outra partida para sustentar sua decisão.

– No jogo entre Atlético-MG e Avaí, o Réver (zagueiro do Galo) deu uma entrada de cartão vermelho, e o Paulo César Oliveira nem marcou falta. É muito difícil.

Repercussões no grupo

O diretor de futebol do Cruzeiro, Dimas Fonseca, surpreendido com a declaração do jogador, tentou amenizar a situação.

– É a cabeça quente. O Gilberto tem suas razões, tivemos problema com o Vuaden. Hoje, no lance, o Gilberto tem plena razão. Mas vamos conversar com ele. Ele sempre joga no seu limite. É uma revolta muito grande. Por sorte, o Rafael pegou. É um momento de cabeça quente, de adrenalina alta. Vamos aguardar, vamos ouvir e respeitar a decisão do jogador.

O técnico do Cruzeiro, Emerson Ávila, também comentou a afirmação de Gilberto e diz que vai conversar com o jogador.

– Gilberto fez um jogo brilhante, principalmente no segundo tempo. Ele é um profissional exemplar, tem uma história muito grande no futebol. Vamos conversar com ele.

fonte: globoesporte.com


Tags: , , , , , , ,

Não encontrou o que queria? Pesquise abaixo no Google.


Para votar clique em quantas estrelas deseja para o artigo

RuimRegularBomMuito BomExcelente (Seja o primeiro a votar)
Loading...



Enviar postagem por email Enviar postagem por email