Thor Batista se livra de mais uma multa por causa de sistema fora do ar

ferrari-thor-batista

O empresário Thor Batista, filho de Eike Batista, se livrou de um flagrante e de mais uma multa do Detran-RJ.

No domingo (6), quando a Ferrari de Thor foi apreendida durante uma blitz do departamento por estar sem a placa da frente, havia outra irregularidade com o veículo.

Embora a propriedade da Ferrari vermelha tenha sido transferida para uma empresa da cidade de Ribeirão Preto, em São Paulo, no mês passado, o carro continuava rodando com placa traseira do Rio Janeiro.

Segundo o Detran, no dia da blitz em que o carro do jovem foi apreendido, o sistema de informática do departamento estava fora do ar e, por isso, não foi possível aplicar a multa. De acordo com a assessoria do órgão, esse tipo de multa não pode ser aplicada posteriormente, só em flagrante.

Procurado pelo G1 desde o início da manhã desta quarta, o Detran-RJ informou que caso de Thor se enquadra no artigo 221 do Código Nacional de Trânsito: “Portar no veículo placas de identificação em desacordo com as especificações e modelos estabelecidos pelo CONTRAN”.

A infração é considerada como média e prevê o pagamento de multa. O órgão, no entanto, não informou o seu valor da multa até a publicação desta reportagem.

No site do Detran-RJ, no entanto, a informação é que o motorista deve pagar R$ 85,13, além de receber 4 pontos na carteira.

Ferrari permanece em depósito
Até às 10h30 desta quarta, a Ferrari de Thor permanecia no depósito no pátio do Detran em Curicica, na Zona Oeste do Rio.

Segundo o Detran, para retirar o veículo é preciso que um procurador da empresa para o qual o veículo foi transferido tome as medidas necessárias, ou seja, pague os débitos (multas e diárias) e se apresente nessa condição de procurador no depósito de Curicica.

Ainda de acordo com o Detran, o carro deverá ser retirado do depósito por meio de reboque, pois, no momento, não estará em condições legais para trafegar.

A outra maneira é retirar a Ferrari do depósito, segundo o órgão, é por meio de transferência de jurisdição, para trazê-lo de volta ao cadastro do Rio de Janeiro. Nesse caso, além das diárias e multas, o responsável terá que pagar o Duda de transferência de jurisdição, no valor de R$ 96,22.

fonte: G1


Tags: , , , , , , , , , , , , , , ,

Não encontrou o que queria? Pesquise abaixo no Google.


Para votar clique em quantas estrelas deseja para o artigo

RuimRegularBomMuito BomExcelente (Seja o primeiro a votar)
Loading...



Enviar postagem por email Enviar postagem por email