Série baseada em histórias do MSN Messenger

serie-control-c-control-v

A tendência de campanhas de marketing baseadas na vida de pessoas comuns se une agora a um novo filão do mercado publicitário, as “webséries”. Com 41 milhões de pessoas, o Brasil tem a maior comunidade de Messenger do mundo, e as histórias narradas narrada pelo chat passaram a inspirar um seriado. Com três episódios no ar, a série de vídeos feita para a internet “Control C Control V” (http://msn.copieecole.com.br) transforma conversas de MSN enviadas pelos próprios usuários em vídeos.

Segundo a agência de publicidade Y&R, que criou a série em parceria com a Microsoft, os dois primeiros episódios, lançados no último mês de novembro, já tiveram mais de 458 mil visualizações, alcançando a audiência de uma minissérie de TV a cabo. Para Fernando Taralli, responsável pelo núcleo digital da Y&R, esse número já se aproxima dos de alguns programas da TV aberta. “Até o final da série, em março, esperamos atingir de três a cinco milhões de espectadores, o que é um resultado surpreendente e expressivo”, diz.

Um exemplo disso, é a websérie americana “IntheMotherhood.com”, patrocinada por uma linha de produtos de beleza para mães, que está em sua terceira temporada e tem 15 milhões de espectadores. A produção americana inspirou a ação brasileira e já fez tanto sucesso nos EUA a emissora ABC comprou os direitos para levar o seriado à TV.

A websérie brasileira terá 10 episódios, sendo que cada um é produzido em apenas 20 dias. A produção já recebeu 4.700 diálogos e, além de contar história do usuário, insere produtos de anunciantes “sutilmente” no filme. O site mostra a conversa editada, com a foto do autor, ao lado do vídeo de cerca de cinco minutos com carinhas coloridas típicas do Messenger que surgem no meio das histórias e personagens que aparecem pulando na tela como se fossem uma caixa de diálogo.

No elenco do programa estão Warlei Santana, do programa TV CQC, e Fabio Lucio Benvenuti, escolhido através do YouTube pelas paródias que fazia do piloto Rubens Barrichello. “Há também um trabalho de descobrir novos talentos na internet, é uma nova maneira de os artistas surgirem”, diz Taralli.”Estamos passando por uma mudança de comportamento, de consumo de mídia e de busca de talentos.”


Tags: , , , , , ,

Não encontrou o que queria? Pesquise abaixo no Google.


Para votar clique em quantas estrelas deseja para o artigo

RuimRegularBomMuito BomExcelente (Seja o primeiro a votar)
Loading...



Enviar postagem por email Enviar postagem por email