Padre degolado na França pediu “mundo mais humano” em último texto

Padre degolado na França pediu "mundo mais humano" em último texto

Padre degolado na França pediu “mundo mais humano” em último texto

Segundo testemunhas, os terroristas invadiram a igreja com facas e gritando que agiam em defesa do Estado Islâmico; um dos homens foi identificado

Jacques Hamel, o padre que foi degolado na manhã desta terça-feira (26) em um ataque que foi realizado pelo grupo terrorista Estado Islâmico, pediu um “mundo mais humano” em sua última mensagem publicada no boletim da paróquia de Saint-Etienne-du-Rouvray.

No texto, o padre de 86 anos disse que “vivemos em uma época em que podemos escutar o convite de Deus para tornarmos esse mundo que vivemos um mundo mais acolhedor, humano e fraterno”.

Jacques Hamel foi ordenado em 1958, vivia na igreja onde celebrava missas e era muito conhecido na comunidade católica local. Hamel já estava afastado de algumas funções, mas celebrava a missa para substituir o sacerdote responsável pela igreja, Auguste Moanda-Phuati, que está na Cracóvia para a Jornada Mundial da Juventude (JMJ).

Entenda : terroristas ligados ao Estado Islâmico invadem igreja e degolam padre

Um padre foi degolado em um ataque terrorista realizado na comuna de Saint-Etienne-du-Rouvray, nas proximidades da cidade francesa de Rouen, localizada a cerca de duas horas de carro de Paris, na manhã desta terça-feira (26).

De acordo com testemunhas, os terroristas invadiram a igreja com facas e gritando que agiam em defesa do Estado Islâmico, grupo que desde o final do ano passado, quando ocorreram os ataques que deixaram 130 mortos em Paris, vem reforçando os ataques no exterior. O EI reivindicou a autoria do atentado.

O padre morto foi identificado Jacques Hamel, de 86 anos. Durante a ação, realizada por volta das 9h, no momento em que ocorria uma missa, ele foi mantido como refém pelo grupo ao lado de duas freiras e outras pessoas que estavam no local para as orações da manhã.

Assim que foi confirmado o ataque, o presidente da França, François Hollande, e o ministro do Interior, Bernard Cazeneuve, se prontificaram a viajar para a comunidade para acompanhar o desenrolar do atentado. “Dirijo-me às famílias e a todos os católicos da França a solidariedade ea compaixão da nação”, escreveu o chefe do Poder Executivo nas redes sociais.

Dois terroristas que participaram da ação foram mortos pelas forças de segurança. Um suspeito de integrar o grupo responsável pelo ataque foi preso. Um dos terroristas foi identificado como Adel Kermiche, de 19 anos. Ele teria tentado se juntar a milícias jihadistas na Síria em duas ocasiões.

Estado de emergência

Desde novembro do ano passado, após os ataques ocorridos nas ruas de Paris, a França se encontra em estado de emergência, medida que dá ao governo o direito de suspender direitos e realizar ações excepcionais devido ao risco de novos atentados.

Hollande chegou a afirmar que não prorrogaria a medida, mas acabou voltando atrás depois de um homem – que assim como os terroristas de Paris era ligado ao Estado Islâmico – ter matado 84 pessoas atropeladas com um caminhão na orla da praia de Nice, no sul do país.

Fonte: Último Segundo/Mundo/Com Agência Lusa e Ansa


Tags: , , ,

Não encontrou o que queria? Pesquise abaixo no Google.


Para votar clique em quantas estrelas deseja para o artigo

RuimRegularBomMuito BomExcelente (Seja o primeiro a votar)
Loading...



Enviar postagem por email Enviar postagem por email