Aécio diz que críticas a Alexandre de Moraes são políticas e “não procedem”

Aécio diz que críticas a Alexandre de Moraes são políticas e "não procedem"

Aécio diz que críticas a Alexandre de Moraes são políticas e “não procedem”

Presidente nacional do PSDB diz que o assunto “já está superado” e garantiu que o ministro dá “absoluta independência” ao trabalho da Polícia Federal

O senador Aécio Neves (MG), presidente nacional do PSDB, afirmou nesta terça-feira (27) que “o País inteiro” tem a percepção de que o ministro Alexandre de Moraes, que comanda a pasta de Justiça e Cidadania, dá “absoluta independência” para que a Polícia Federal (PF) atue na Operação Lava Jato.

Aécio, que ficou em segundo lugar na eleição presidencial de 2014, disse ainda que as acusações de que Moraes divulgou informações indevidas sobre a Lava Jato não procedem. No último domingo (25), o ministro participou de comício de um candidato do PSDB em Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, e garantiu a militantes que novos desdobramentos da força-tarefa que apura desvios na Petrobras ocorreriam nesta semana.
Após a declaração, senadores oposicionistas do PT e do PCdoB protocolaram nesta segunda-feira (26) representação na Procuradoria Geral da República (PGR) pedindo o afastamento cautelar do ministro. A alegação foi a de que o titular da pasta teria violado o sigilo inerente ao cargo.
Os parlamentares que assinaram a petição acusam Moraes de ter conhecimento prévio sobre a 35ª fase da Lava Jato, que culminou na prisão do ex-ministro Antonio Palocci, que ocupou a Fazenda e a chefia da Casa Civil nos governos petistas de Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff. Palocci foi detido na segunda-feira (26).

Para Aécio, “esse assunto já está superado. Há uma consciência no país inteiro de que o ministro Alexandre de Moraes não apenas apoia a Operação Lava Jato, como tem dado à Polícia Federal absoluta independência para fazer o seu trabalho. [Ao criticar o ministro] o PT tenta politizar uma questão que é absolutamente jurídica”, afirmou o presidente do PSDB, após reunião com o presidente Michel Temer.
Bolsa Família
Durante o encontro com Temer, Aécio pediu ao presidente apoio a uma proposta que tramita no Senado e que prevê que o Bolsa Família deixe de ser uma política de governo e passe a ser política de Estado.
O senador avalia que esse projeto fará com que o Bolsa Família “deixe de ser compreendido como programa de um governo”. “Vim buscar apoio do Temer para que, ao lado das medidas econômicas, essa seja uma medida consistente no plano social para demonstrar que o ajuste das contas públicas possa conviver com a consolidação das políticas sociais relevantes para a população brasileira.”
Sobre a proposta apresentada pelo governo federal que limita os gastos públicos, Aécio defendeu que, inicialmente, se restrinja apenas aos gastos do governo federal. O objetivo seria garantir sua aprovação.
De acordo com ele, a proposta de criação de um teto de gastos representa para a sociedade uma sinalização de que o governo que tem um “rumo e um projeto” para o País. “É por isso que o PSDB apoia o governo Temer: porque acredita que ele tem consciência clara de que ou avança na direção dessas reformas ou terá um fim muito difícil”, finalizou Aécio.

Fonte: Último Segundo/Política/EBC Agência Brasil


Tags: , , , ,

Não encontrou o que queria? Pesquise abaixo no Google.


Para votar clique em quantas estrelas deseja para o artigo

RuimRegularBomMuito BomExcelente (Seja o primeiro a votar)
Loading...



Enviar postagem por email Enviar postagem por email