Terremoto no Japão deixa 40 mil casas sem energia

Terremoto no Japão deixa 40 mil casas sem energia

Terremoto no Japão deixa 40 mil casas sem energia

Oito pessoas ficaram feridas e não houve alerta de tsunamis; tremor foi registrado a uma profundidade de 10 quilômetros às 14h no horário local

A região oeste do Japão foi atingida, na madrugada desta sexta-feira (21), por um terremoto de 6,2 graus de magnitude na escala aberta de Ritcher. O terremoto foi anunciado pelo Centro Geológico dos Estados Unidos (USGS), que revisou o anúncio inicial de 6,6 graus. Não houve alerta para tsunamis. As informações são da agência AFP.
Registrado a uma profundidade de 10 quilômetros às 14h no horário local (3h de Brasília) no município de Tottori, o terremoto foi sentido em metade da ilha de Honshu, até Tóquio.
Publicidade

O aeroporto da região suspendeu as operações, informou o canal de televisão público NHK, que também mencionou tremores secundários.
“Percebemos abalos muito fortes, acredito que os mais fortes em anos”, afirmou Suminori Sakinada, funcionário da prefeitura de Tottori.
O canal NHK anunciou que oito pessoas ficaram levemente feridas. A emissora interrompeu a programação habitual para dedicar-se à cobertura do terremoto.
LEIA TAMBÉM: Fernando Collor recebeu R$ 29 milhões em propina, acusa PGR
“O número de emergências, 119, recebeu muitas ligações”, destacou a agência Kyodo.
Nas próximas horas e dias podem ser registrados tremores secundários que afetariam edifícios e construções já fragilizados pelo primeiro terremoto.
“Trabalhamos em estreita colaboração com as localidades afetadas e ordenamos que as informações sobre a retirada dos moradores e os danos sejam comunicadas o mais rápido possível aos cidadãos”, escreveu no Twitter o primeiro-ministro Shinzo Abe.
Vários focos de incêndio foram registrados e uma casa desabou, informou a NHK que, por meio de sua rede de câmeras automáticas, que são ativadas com os terremotos, conseguiu rapidamente exibir imagens de edifícios balançando em Tottoti.
O tráfego de trens de alta velocidade entre Tóquio e Osaka foi paralisado nos dois sentidos.
Também foram registrados cortes de energia elétrica em 40 mil casas. O fornecimento de água e gás pode ser interrompido em alguns pontos, advertiu a emissora.
De novo no Japão?
O Japão, que se encontra no cruzamento de quatro placas tectônicas, é cenário a cada ano de mais de 20% dos terremotos mais fortes registrados no mundo.
Os japoneses são ainda mais conscientes dos riscos desde o tsunami de março de 2011 que deixou quase 18.500 mortos, além de ter provocado o acidente nuclear de Fukushima.
Em abril, o arquipélago nipônico registrou mais que um terremoto na região de Kumamoto (sudoeste), o que deixou 50 mortos.
Fonte: Último Segundo/Mundo/Ig. São Paulo


Tags: , , , , ,

Não encontrou o que queria? Pesquise abaixo no Google.


Para votar clique em quantas estrelas deseja para o artigo

RuimRegularBomMuito BomExcelente (Seja o primeiro a votar)
Loading...



Enviar postagem por email Enviar postagem por email