Número de presos que farão o Enem sobe 19,4% na comparação com 2015

Número de presos que farão o Enem sobe 19,4% na comparação com 2015

Número de presos que farão o Enem sobe 19,4% na comparação com 2015

De acordo com o Inep, 54.347 pessoas privadas de liberdade irão prestar o exame neste ano; provas serão aplicadas nos dias 13 e 14 de dezembro

O total de pessoas privadas de liberdade que se inscreveram para prestar o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) neste ano teve aumento de 19,4% em relação à edição de 2015, segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais (Inep), órgão vinculado ao Ministério da Educação (MEC) que é responsável pela organização da prova.

Em 2016, estão inscritas no Enem 54.347 pessoas privadas de liberdade, além de jovens que estão cumprindo medidas socioeducativas determinadas pela Justiça. No ano passado, esse grupo era composto por aproximadamente 45.500 candidatos. Em um ano, portanto, foram 8.847 inscrições a mais.
As provas para os presos e adolescentes cumpridores de medidas socioeducativas serão realizadas nos dias 13 e 14 de dezembro. A aplicação dos testes será feita em 1.290 unidades prisionais e de internação para menores.
O calendário oficial do Inep previa que as pessoas privadas de liberdade fariam o exame nos dias 6 e 7 de dezembro. O cronograma, entretanto, teve de ser alterado em razão das ocupações feitas por estudantes em 405 locais de prova em todo o Brasil como protesto contra medidas anunciadas recentemente pelo governo federal e que envolvem a área da educação.
Manifestações
As ocupações nos 405 locais de prova fizeram o MEC adiar o exame para pouco mais de 270 mil candidatos no Brasil, que terão de prestar o exame nos dias 3 e 4 de dezembro. A data original foi em 5 e 6 de outubro. Por conta da suspensão, o ministério também precisou reagendar a data dos testes para as pessoas privadas de liberdade.
Os manifestantes protestam contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que limita o crescimento dos gastos do governo federal pelos próximos 20 anos e contra as mudanças na grade curricular do ensino médio, anunciadas em setembro pelo MEC. Os grupos de oposição ao governo consideram que as medidas irão prejudicar a educação pública no País.
Ensino Médio Inovador
As escolas brasileiras têm até a próxima sexta-feira (18) para confirmar a participação no programa Ensino Médio Inovador, do MEC. De acordo com o ministério, as diretrizes do programa estão alinhadas às diretrizes do Plano Nacional da Educação (PNE) e às características do novo ensino médio, cuja reforma motivou os protestos que afetaram o Enem em outubro.
Fonte: Último Segundo/Educação/Ig. São Paulo


Tags: , , , , ,

Não encontrou o que queria? Pesquise abaixo no Google.


Para votar clique em quantas estrelas deseja para o artigo

RuimRegularBomMuito BomExcelente (Seja o primeiro a votar)
Loading...



Enviar postagem por email Enviar postagem por email