Governo de São Paulo inicia obra de desassoreamento no Rio Tietê

Governo de São Paulo inicia obra de desassoreamento no Rio Tietê

Governo de São Paulo inicia obra de desassoreamento no Rio Tietê

Investimento aproximado é de R$ 55,9 milhões e prazo é de 12 meses; objetivo é evitar inundações em municípios da região metropolitana


O Governo de São Paulo anunciou nesta quarta-feira (1º) que irá investir R$ 55,9 milhões nas obras de desassoreamento de mais um trecho do rio Tietê, entre a barragem da Penha e o lado da barragem Edgard de Souza, na região metropolitana de São Paulo. A estimativa de que sejam retirados cerca de 500 mil m³ de sedimentos, como areia, argila e materiais inertes, e lixo depositado no fundo do canal. As obras tiveram início hoje.

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) esteve no local das obras, que irão beneficiar as cidades de São Paulo, Osasco, Carapicuíba, Barueri e Santana do Parnaíba. “O rio aprofundado ajuda a macrodrenagem de São Paulo, porque o Tietê é o grande ralo de São Paulo. Todos os rios confluem para ele, então, melhora o rio Aricanduva, o Cabuçu, o Mandaqui, e toda a macrodrenagem”, afirmou.
O prazo estimado pelo Daee (Departamento de Águas e Energia Elétrica) para conclusão da obra é de 12 meses.
Segundo Alckmin , o desassoreamento também está sendo feito em outros trechos do rio. “De Santana do Parnaíba até a barragem da Penha, a gente vem fazendo com frequência esse trabalho. Esse trecho até Mogi eu acho que faz uns 15 anos que não é assoreado.”
Outras obras
Em outro trecho do rio, de 44,2 quilômetros, entre o córrego Três Pontes, localizado na divisa de São Paulo com Itaquaquecetuba, e o córrego do Ipiranga, em Mogi das Cruzes, o Daee espera remover 343 m³ de sedimentos depositados. Serão investidos R$ 37,7 milhões nas obras, que foram iniciadas em agosto de 2016. A conclusão é prevista para fevereiro de 2018.

Os serviços irão beneficiar os municípios de Itaquaquecetuba, Poá, Suzano e Mogi das Cruzes. O trabalho realizado em etapas inclui a remoção de pedras e rochas para favorecer o escoamento do rio .
Um dos trechos já concluídos, segundo o governo, é o do Estaleiro-foz do córrego Ipiranga, em Mogi das Cruzes. Já foram desassoreados cerca de 900 metros com a retirada de 46 mil m³ de sedimentos e 450 m³ de rochas. Os equipamentos estão sendo transferidos para o trecho seguinte, de 2,8 quilômetros, do Estaleiro ao Parque Leon Feffer, que inclui a foz do córrego Matadouro e Ribeirão Canudos.

Há ainda obras do Daee sendo executadas na montante do canal de adução da Sabesp, em trecho de 5 quilômetros do rio Tietê e mais 5 km do rio Paraitinga, nos municípios de Biritiba Mirim e Salesópolis. No trecho, denominado Lote 5, deverão ser retirados 61,5 mil m³ de sedimentos. O investimento é de R$ 6,5 milhões e já foram executados 25% das obras.
Fonte: Último Segundo/Brasil/Ig. São Paulo


Tags: , , , ,

Não encontrou o que queria? Pesquise abaixo no Google.


Para votar clique em quantas estrelas deseja para o artigo

RuimRegularBomMuito BomExcelente (Seja o primeiro a votar)
Loading...



Enviar postagem por email Enviar postagem por email