MEC ameaça fechar cursos de Medicina no Rio de Janeiro

medicina

O Ministério da Educação ameaça descredenciar três cursos de medicina reprovados em avaliações oficiais. Todos eles ficam em instituições particulares do Estado do Rio: o da Universidade Severino Sombra, em Vassouras; do Centro de Ensino Superior de Valença; e o da Universidade de Iguaçu, no campus de Itaperuna. O MEC deu prazo até 30 de junho para que as três instituições resolvam insuficiências detectadas por uma comissão de especialistas.

Do contrário, os cursos não poderão receber novos alunos e só continuarão funcionando até que o último estudante que já frequenta a faculdade de medicina se forme. Na prática, isso leva ao fechamento do curso dentro de alguns anos. As três instituições estão proibidas de realizar vestibular e, caso já tenham selecionado os estudantes para ingresso em 2009, esses novos alunos não poderão começar o ano letivo.

– Esses três cursos apresentam deficiências gravíssimas. Se até o meio do ano essas instituições não tomarem medidas, os cursos serão descredenciados – disse o ministro da Educação, Fernando Haddad.

Outros cursos de medicina, todos particulares, sofreram punições mais brandas. No Rio, o campus de Nova Iguaçu da Universidade de Iguaçu teve a oferta de vagas reduzida de 100 para 75 por semestre até que sejam resolvidos problemas detectados pelos especialistas, o que deve ocorrer em até 12 meses. Na Universidade Metropolitana de Santos (SP), o MEC determinou a redução do número de alunos ingressantes por vestibular de 80 para 50 até que sejam sanadas deficiências. A regra vale já para o início de 2009.

A Universidade de Marília (Unimar), em Marília (SP), que tinha tido o vestibular totalmente suspenso, o ingresso de alunos foi restabelecido, mas reduzido de 100 para 50, após as instituições cumprir parcialmente as determinações do MEC. A Universidade Luterana no Brasil (Ulbra), do Rio Grande do Sul, também teve as vagas reduzidas de 70 para 65.


Tags: , , , , , , , ,

Não encontrou o que queria? Pesquise abaixo no Google.


Para votar clique em quantas estrelas deseja para o artigo

RuimRegularBomMuito BomExcelente (2 votos, média: 4,50 de 5)
Loading...



Enviar postagem por email Enviar postagem por email

Comentários

  • Antonio Passos disse:

    Josafá,

    Fico pensando se o MEC não quer dar o mesmo destino para a Faculdade de Medicina da Unb. Pelo edital para contratação de professores substitutos, em que é oferecido salário de R$ 383,22, parece que sim. Confira: http://www.scribd.com/doc/11541800/Edital-Contratacao-Prof-Substituto-UNB

  • Jordana oliveira disse:

    Sou aluna formada na USS, em Medicina com muito orgulho. Saí do interior de São Paulo onde existem bons cursos de medicina e escolhi estudar em Vassouras, pois meu pai também é formado por lá. Formei no ano passado e já passei para Residencia aqui em SP. Quem faz a faculdade é o aluno, assim como em Vassouras, existem outras cidades, ainda q maiores q ela, q os alunos fazem festa a semana toda. A culpa é dos alunos q não estudam como deveriam. Os professores na USS são maravilhosos, capacitados e atualizados, i hospital universitário é um exemplo no interior desse País, ele atende não só os pacientes das cidades da região, como também da baixada. ë uma mentira o q dizem sobre o aproveitamento dos estudos. O internato não é feito totalmente no Hospital, tambem vamos p o Rio, SP e etc. assim o q o MEC diz foi mentira. As pessoas q querem estudar em Vassouras no Curso de Medicina não desistam, o CURSO DE MEDICINA É BOM DEMAIS. As pessoas devem visitar antes de tecer comentário maldosos, já lá e visite a USS, o hospital, assista uma aula, Enquanto outros cursos por esse País usam hospitais para fazerem seus cursos, a USS mantém hospital próprio e muito bom.

  • Johnny disse:

    Como é que o MEC deu o prazo até 30 de junho sendo que a avaliação para detectar se as medidas saneativas foram tomadas pela UNIG Itaperuna. Sendo que o Ministério estava ontem e hoje na UNIG avaliando as melhorias. Então esta informação está parcialmente correta.