Polícia Federal apreende quatro toneladas de cocaína

cocaina

A maior apreensão de cocaína jamais realizada no Sul do País aconteceu ontem. Uma operação conjunta da Polícia Federal e da Receita Federal encontrou uma quantidade quase absurda da droga, e que pode chegar a quatro toneladas, escondida em cinco contêineres que seguiriam para Europa. A cocaína estava escondida entre uma carga de paletos. Essa quantidade poderia render perto de 20 milhões de euros. O nome da empresa dona da carga não foi divulgada, mas teria vindo de São Paulo.

A quantidade da droga era tanta que até a pesagem entrou noite adentro. Mas os policiais estimavam entre três a quatro toneladas de cocaína. A Receita Federal e a Polícia Federal investigavam o narcotráfico há algum tempo. Ontem, por volta das 14 horas, quando o caregamento dos contêineres seria feito para um navio atracado no Porto, os policiais fizeram o flagrante ainda no Terminal de Cargas do Porto.
Segundo informações encaminhadas por nota pela Receita Federal, a droga, disposta em tabletes, foi encontrada oculta em meio a paletos de madeiras que estavam depositadas nos cinco contêineres, que seriam exportadas por uma empresa para um porto da Romênia.

Ainda conforme o comunicado, o esquema de levar cocaína por meio de contêineres desde o Porto de Paranaguá para a Europa, não é novo. Recentemente, 1,2 tonelada da droga foi encontrada pela polícia romena tambéme scondida entre uma carga de madeira que teriam saido do mesmo destino. A carga era estimada em 6 milhões de euros. Por causa dessa apreensão, a PF brasileira e a RF, iniciaram o rastreamento das cargas.

A operação de ontem contou com participação da Alfândega do Porto da Receita Federal do Brasil em Paranaguá, da Divisão de Repressão ao Contrabando e Descaminho da Superintendência Regional da Receita Federal do Brasil da 9ªRegião Fiscal-SRRF09/Direp, da Inspetoria da Receita Federal do Brasil em Curitiba e do Escritório de Pesquisa e Investigação da 9ª Região Fiscal -Espei.

Grandes apreensões — Nos últimos dias as apreensões de cocaína dominam o cenário policial. Na tarde de terça-feira, a Delegacia de Repressão a Entorpecentes da Polícia Federal em Curitiba deflagrou a Operação São José, com principal objetivo reprimir o tráfico de cocaína na Capital, Foz do Iguaçu e Maringá. Desde que a investigação foi iniciada, em agosto de 2008, 25 quilos de cocaína e 2,5 quilos de crack foram tirados de circulação, além de resultar na prisão de seis traficantes.
Ao mesmo tempo, durante cumprimento dos mandados de prisão e busca e apreensão expedidos pela Justiça Estadual, outras cinco pessoas foram parar atrás das grades, entre elas um aluno da Escola da Polícia Civil. O grupo tinha cerca de dez quilos de coca, entre pura e pasta base.

Na última segunda-feira, a Polícia Rodoviária Estadual (PRE) prendeu dois irmãos que tentavam levar pouco mais de um quilo de cocaína pura no estômago de Ponta Grossa, no Paraná, até Tijucas, em Santa Catarina. Após lavagem estomacal, foram retiradas 98 cápsulas do estômago dos traficantes.

Na terça-feira, policiais da Delegacia de Furtos e Roubos de Curitiba, em apoio ao Departamento Estadual de Narcóticos de são Paulo, prenderam um megatraficante que atuava no Brasil e levava uma vida de ostentação em Curitiba. O homem é considerado um dos principais traficantes do país. Só de cocaína, movimentava mais de meia tonelada por mês. Essa movimentação rendia a ele algo em torno de R$ 5 milhões mensais, no mínimo.

Na semana passada, a Polícia Federal descobriu um minilaboratório em Curitiba. Policiais da divisão de Repressão a Entorpecentes apreenderam 33 quilos de cocaína.


Tags: , , , , , , , , , ,

Não encontrou o que queria? Pesquise abaixo no Google.


Para votar clique em quantas estrelas deseja para o artigo

RuimRegularBomMuito BomExcelente (4 votos, média: 4,00 de 5)
Loading ... Loading ...



Enviar postagem por email Enviar postagem por email