Febre Amarela se aproxima da capital gaúcha

O mapa desenhado pela febre amarela no Rio Grande do Sul se aproxima da Capital e eleva para 201 o número de municípios gaúchos em alerta. A Secretaria Estadual da Saúde (SES) confirmou, ontem, que outras 19 cidades passaram a fazer parte da área de risco da doença.

aedes-aegypti

A enfermidade tem assustado e surpreendido até mesmo os técnicos da secretaria: o vírus não só chegou ao Vale do Taquari, até então livre da febre amarela, como também bate às portas da Região Metropolitana. Hoje na área de risco vive 25% da população gaúcha.

Entre as cidades que passaram a integrar a área de risco está General Câmara, distante 80 quilômetros de Porto Alegre. Mesmo com a proximidade da Capital, a SES continua a descartar a vacinação para todo o Estado. Segundo o secretário estadual da Saúde, Osmar Terra, boa parte desses 19 novos municípios que integram a lista de risco não registraram nenhum caso de bugio morto em razão da doença – são cidades próximas a locais onde ocorreram essas mortes.

– Não há motivo para nos precipitarmos. Estamos monitorando os passos da doença no Estado e realizando caça aos bugios para tentar detectar a presença do vírus antes mesmo dele vitimar os macacos – explica.

Em 2001, o Estado enfrentou um surto semelhante de febre amarela e, com a mesma estratégia, conseguiu frear o avanço da doença ao vacinar somente a população de 52 municípios da Região Noroeste, próximos à fronteira com a Argentina.

Além disso, Terra alerta para o perigo de se imunizar toda a população. Nem todo o mundo pode se submeter à vacina em razão do grau de risco que ela pode representar em casos contraindicados. A medida é prudente para evitar que se morra mais gente pela vacina do que pela própria doença.

– Muitas pessoas que moram na Região Metropolitana, por exemplo, acabam se vacinando antes de viajar ao Interior. Isso comprova que a imunização, aos poucos, já está se estendendo a todos os cantos, mas seguindo a prioridade que deve seguir –alerta o secretário.

Até agora, de 13 gaúchos infectados, seis morreram

A divulgação da listagem atualizada da área de risco irá gerar novos mutirões pela vacina hoje em todo o Estado. As prefeituras de cada uma das 19 cidades que passaram a integrar a área de risco já estão com doses suficientes para imunizar boa parte da população. Mesmo assim, a SES irá transportar novos lotes diariamente para cada local.

Como já vinha sendo orientado, a prioridade são os moradores da zona rural, onde as chances de contágio são maiores.

– Como já desconfiávamos da presença do vírus nessas cidades, já fomos encaminhando doses da vacina aos poucos. Mesmo sem a confirmação dos exames pelos laboratórios, esta foi uma estratégia de prevenção da SES – explica Terra.

Até agora, dos 13 gaúchos infectados pelo vírus da febre amarela, seis já morreram vítimas da doença desde novembro do ano passado. O último caso foi confirmado há uma semana, em Vera Cruz, no Vale do Rio Pardo, quando exames comprovaram que um agricultor de 51 anos morreu vítima da doença no dia 24 de março.

Além disso, o Rio Grande do Sul registra outros sete casos em investigação, que aguardam retorno do laudo dos laboratórios especializados.

Fonte: Zero Hora


Tags: , , , , , ,

Não encontrou o que queria? Pesquise abaixo no Google.


Para votar clique em quantas estrelas deseja para o artigo

RuimRegularBomMuito BomExcelente (Seja o primeiro a votar)
Loading...



Enviar postagem por email Enviar postagem por email