Ministro Carlos Minc, faz novo discurso a favor da maconha, durante show da banda Tribo de Jah

carlos-minc-maconha

O ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, fez uma defesa da descriminalização do uso da maconha durante um show de reggae da banda maranhense Tribo de Jah, na Chapa dos Veadeiros, em Goiás, no último final de semana. O vídeo, com pouco mais de três minutos, foi parar no YouTube.

Minc, que é fã de reggae e estava passando o feriado prolongado na região, subiu ao placo a convite da banda e fez um pronunciamento dançando e cantando ao ritmo da música para uma plateia estimada por ele em 2.000 pessoas.

Na gravação, ele começa sua fala defendendo a natureza. “Vamos defender a Amazônia. Não vamos deixar queimar a Amazônia. A gente conta com os seringueiros, com os castanheiros, com as nações indígenas e com a consciência da rapaziada”, disse. “Vamos defender o cerrado, a caatinga, a Amazônia, a mata atlântica e o reggae. O reggae é a liberdade”, afirmou o ministro.

Em seguida, Minc defende a descriminalização da maconha sem citar a palavra. “Outro recado. Ontem [sábado 5] a gente venceu, 3 a 1 na Argentina. Só que tem outro placar [em] que a gente está perdendo da Argentina. Os juízes [do país vizinho] descriminalizaram. O usuário não é criminoso. E esse jogo a gente está perdendo aqui. Nós vamos virar esse jogo, acabar com a hipocrisia”. Foi aplaudido pela plateia.

O ministro se referia à nova política sobre o consumo de maconha no país vizinho, que deixou de criminalizar o usuário da droga.

O ministro afirmou que ainda não havia visto as imagens, mas que várias pessoas telefonaram a ele para comentar a performance. “Imagina. Na Chapada, 2h30 da manhã com dois mil jovens, fazer um discurso careta não dá. Não sei cantar, mas sei dançar”, disse.

Veja o video:

O ministro, porém, preferiu não comentar sua participação assistindo ao vídeo do YouTube ou repetindo seus passos. “É irrepetível. Ficaria fora de contexto. Foi um discurso musical, tinha a música para entrar no ritmo, deixar o ritmo te tomar. Fora dali, seria uma caricatura pobre e completamente desfigurada.”

Minc afirmou ter ficado emocionado e que pensa até em repetir sua “atuação” caso surja uma oportunidade semelhante para dar seu recado ao público. “Agora, a seco eu sou um desastre ecológico”, disse.

fonte: g1


Tags: , , , , , , , ,

Não encontrou o que queria? Pesquise abaixo no Google.


Para votar clique em quantas estrelas deseja para o artigo

RuimRegularBomMuito BomExcelente (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...



Enviar postagem por email Enviar postagem por email

Comentários

  • José Carlos Vieira disse:

    Esse giverno de Lula tem de tudo: Ladrão, assassino, invasor, mau carater, prostituta, viado e agora maconheiro.
    Oh Lula porque nao toma vergonha na cara, pede pra cagar e sai, com toda essa tua corja de marginais?

  • Raphael disse:

    José Carlos Vieira, típico ícone de um Brasil que discrimina e julga as pessoas…
    Dizer que políticos são ladrões, tudo bem. Agora comparar assassino com viado e prostituta? Maconheiro?!?
    É por essas e outras que o Brasil SEMPRE será o que é, repleto de pessoas cercadas por seus mundinhos ridículamente ínfimos e sua cabeça puramente voltada à si…

  • expedito disse:

    por essas e outras, pessoas do alto escalao politico, quando deveriam defeder a etica e os bons costumes, salarios dignos e condiçoes de vida humanamente dignas, preocupam-se em subir em palco de show de regae e defender o uso de intorpecentes como sendo algo estupidamente prioritario a vida. lamento nossa sorte

  • Carlos Carvalho disse:

    É conflitante saber que pessoas de natureza rasa ocupem postos-chave dentro da sociedade Brasileira. E lá vai o ministro desfilando seu infinito guarda-roupas de coletinhos sortidos em mais uma passeata pró-fumo. Subitamente estronda a perguntinha que nunca se cala: E ONDE ELE COMPRA? COMO CONSEGUE? QUEM FORNECE?
    Já que seu Status exige de nós que nos dirijamos a ele como Vossa Excia, certamente algum motoboy ou alguém que circule sorrateiro entre traficantes proverá o Ministro do seu prazer nefasto, e dane-se o cidadão de bem já que essa bandeira que defende é a que oferece constantemente balas perdidas, trocas de tiro, homicídios e toda sorte de desgraças que um somente um pacífico usuário de drogas pode oferecer. O Ministro Minc é um bandido por osmose, assassino indireto e ceifador de famílias de bem e todos os demais que na mesa dele são comensais. Na porta da jaula está o aviso: Não alimente os animais. Dentro, a besta fera denominada traficante. Minc e tantos outros são seus tratadores que merecem igual tratamento na clínica descrita por Dante como “O INFERNO”. O Planeta sofre agonia indizível diante do prazer monstruoso destes seres das trevas. Criminosos indiretos, assassinos de mãos limpas. Se esta criatura abissal descer ao inferno, o dono da casa lhe dirá: Aqui não, cava mais fundo! Tem balas perdidas em seu nome Ministro e se existir outra vida, que divida todas elas pra cada uma de suas vidas pois assim será morto logo ao chegar durante muitos séculos. Bon voyage Ministro Bandido.