Prova de analista do concurso do TRE-PE pode ser anulada por fraude

prova-concurso

Confusão e denúncias de irregularidades marcaram o dia de provas do concurso do Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE) neste domingo (17). Candidatos insatisfeitos denunciaram atrasos nas provas, falta de fiscalização com relação aos celulares e até violação de avaliações. A diretora geral em exercício do TRE, Marília Berquó, informou que o órgão só irá se pronunciar após uma reunião que será realizada com a presidência às 10h desta segunda-feira (18) na sede do órgão.

Pela manhã, no Colégio Boa Viagem, Zona Sul do Recife, os candidatos foram colocados no auditório D da escola e a avaliação só foi distribuída às 9h, quando o horário previsto era 8h. “A prova foi distribuída às 9h mas não tinham autorizado para o início. Teve gente tirando foto da prova. Eu mesmo saí do colégio com o cartão de respostas no bolso”, explicou um dos inscritos que quis se identificar apenas como Célio.

Um outro candidato, Fernando Coelho, que fez prova pela manhã para o cargo de analista judiciário e à tarde para técnico judiciário, as duas na Faculdade Boa Viagem, Bairro do Ipsep, Zona Sul do Recife, informou que não viu o pacote dos exames ser aberto na frente dos inscritos. “Quando vi já estava aberto. Muita gente entrou com celular, com relógios, apostilas, bolsas, sem assinar a ata, não tinha lugar marcado”, completa.

Pela tarde, a confusão continuou, ainda segundo Fernando houve até violação de exames. De acordo com o candidato, no gabarito, as pessoas tinham que assinalar o tipo de prova se era A, B, C ou D, porém essa orientação não constava na instrução das avaliações e nem os fiscais informaram. “Quando foi na parte da tarde, o pessoal avisou. Isso criou aquele tumulto. Todo mundo foi para coordenação”.

Ele contou que com medo de serem desclassificados, após as provas, os inscritos que tinham feito os exames pela manhã e também optaram para fazer o de técnico judiciário à tarde foram até a coordenação da faculdade para tentar assinalar o gabarito. No local, o candidato informou que os pacotes foram abertos.

No vídeo abaixo, enviado por um inscrito, é possível ver ao menos um fiscal abrindo uma caixa e pegando um saco onde supostamente estariam as provas para que, à tarde, alunos que fizeram as avaliações pela manhã e não marcaram o tipo de exame no cartão de respostas pudessem fazer isso. É possível, inclusive, ouvir uma candidata ao celular dizendo que aguarda a oportunidade de marcar o seu cartão.

Internautas também denunciaram que uma prova amassada foi encontrada dentro do banheiro feminino do Centro de Ciências Sociais Aplicadas (CCSA) da Universidade Federal de Pernambuco às 16h10, quando, segundo o mesmo internauta, a avaliação só poderia ser levada às 17h45.

A candidata Lorena Rodrigues, que é de Salvador e veio para Recife só para fazer o concurso, também está insatisfeita e pretende ir nesta segunda-feira (18) ao Ministério Público Federal junto com mais dez pessoas fazer uma denúncia contra a Conesul, organizadora do concurso, e o TRE. “Eu sou uma pessoa que estou estudando há um ano e meio só para concurso do TRE. Dá uma sensação de frustração, você abre mão do tempo de lazer por um sonho seu”, diz. Ela também conta que, pela manhã, na sala em que ela estava, o celular de uma candidata tocou durante a prova, um fiscal foi chamado mas apenas foi feita uma anotação na ata.

CONCURSO – O concurso do TRE teve 85.721 inscritos. Pela manhã, foram aplicadas as avaliações para analista judiciário e pela tarde para o cargo de técnico judiciário. Ao todo, foram 60 locais de prova.

fonte: jc online


Tags: , , , , , , , , ,

Não encontrou o que queria? Pesquise abaixo no Google.


Para votar clique em quantas estrelas deseja para o artigo

RuimRegularBomMuito BomExcelente (Seja o primeiro a votar)
Loading...



Enviar postagem por email Enviar postagem por email

Comentários

  • Marcos Rezende disse:

    EU ESTAVA LÁ!

    FIZ PROVA PARA OS CARGOS DE ANALISTA, PELA MANHÃ, E DE TÉCNICO, À TARDE.

    PELA MANHÃ, FOI ENGRAÇADO: DEPOIS DE A FISCAL TER INFORMADO SOBRE A PROIBIÇÃO DO USO DE APARELHO CELULAR, UM DELES TOCOU. ASSIM QUE ELE PAROU DE TOCAR, A FISCAL DISSE QUE, SE ELE TOCASSE NOVAMENTE, ELA TOMARIA A PROVA. E (ACREDITEM!) ACONTECEU. O CELULAR VOLTOU A TOCAR. MAS A FALHA ESTAVA POR VIR QUNDO A FISCAL VIU E NÃO TOMOU A PROVA QUE ELA DISSE QUE TOMARIA CASO HOUVESSE UM NOVO ERRO. E, O CANDIDATO QUE TEVE O CELULAR LIGADO, FEZ SUA PROVA E NÃO DEMONSTRAVA NENHUM TIIPO DE MEDO.

    À TARDE, FOI PIOR. ALÉM DA MÁ ELABORAÇÃO DA PROVA, TAIS COMO ERROS DE PORTUGUÊS, E FALTA DE VÍRGULAS (À PROPOSITO, A NOVA ORTOGRAFIA TB ABOLIU A VÍRGULA? O APOSTO EXPLICATIVO?) , UMA CANDIDATA ESTAVA FAZENDO SUA PROVA COM UMA CANETA CONFECCIONADA EM MATERIAL DE COR OPACA (AMARELA). AINDA SIM, O CHEFE DOS FISCAIS PERMITIRAM QUE ELA CONTINUASSE A FAZER O EXAME. SOMANDO-SE A ISSO, UM CANDIDATO TIRAVA FOTOS DA PROVA COM O CELULAR E AS ENVIAVA (SABE-SE LÁ PARA QUEM…).

    ESSE CONCURSO, AINDA SIM, É VÁLIDO?

    ONDE ESTÁ O RESPEITO AOS PRINCÍPIOS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICACONTIDOS NO ARTIGO 37 E 38 DA CONSTITUIÇÃO?

    SE FECHARMOS OS OLHOS A ESSES ERROS, É MELHOR QUE QUEIMEMOS E JOGUEMOS FORA TODO O ORDENAMENTO JURÍDICO POIS, AS LEIS FORAM FEITAS PARA SEREM OBEDECIDAS. NÃO BURLADAS.

  • angela disse:

    Fiz a prova no periodo da tarde a bagunça, a desordem e a falta de preparo dos fiscais não foi diferente. quando cheguei para assinar a ata a moça que estava em minha frente entrou de relógio, eu questionei à fiscal, e ela disse só não pode se o relógio for analógico se for outro poe. eu disse: mas o edital não especifica o tipo de relógio, mas…. pessoas realizaram suas provas com lápis e borracha. Questionei mais uma vez e… só não pode grafite, mas lápis de madeira pode. em fim! os candidatos, independente se pela manhã ou à tarde os atropelos foram os mesmos.
    Detalhe, soube também que candidatos à tarde já foram com o gabarito, pois candidatos que realizavam a prova pela manhã receberam a prova errada, a que seria da tarde e assim continuou. feito isto, SINSERAMENTE!!!!!! que falta de organização…

  • Mágna de Lourdes Ferreira Fernandes disse:

    ACHO QUE ESSE CONCURSO PARA O TRE/PE DEVERIA SER TODO CANCELADO. É FRUSTRANTE NÃO SABERMOS EM QUEM CONFIAR, QUEM NOS GARANTE QUE O QUE OCORREU, FOI SÓ P/ ANALISTA .EU POR EXEMPLO, FIZ PROVA NA UFPE P/ O CARGO DE TÉCN. JUDICIÁRIO-ÁREA ADMIN. .HOUVE BAGUNÇA, FUI AO BANHEIRO SEM FISCALIZAÇÃO. NENHUMA INFORMAÇÃO S/ CANETA TRANPARENTE, NEM COMO MARCAR O TIPO DE PROVA NO GABARITO, MUITO DEPOIS DE TER COMEÇADO A PROVA, AINDA HAVIAM FISCAIS TRANSITANDO, CONFERINDO OS DADOS PARA ENTREGA DO GABARITO. ABSURDO!

    EU ACHO QUE TEM QUE SER CANCELADO AO TODO, NÃO SÓ O DE ANALISTA, MAS TODA A PROVA APLICADA NESTE DIA, INCLUSIVE QUE SE MUDASSE A ORGANIZADORA. TEMOS ESSE DIREITO! CASO CONTRÁRIO SERIA O MESMO QUE SE COLOCASSE UMA REGRA DA SEGUINTE MANEIRA:- ATÉ A LETRA “L” ESTÁ CANCELADO, MAS DO “M” PRA FRENTE ESTÁ VALENDO.!! ESPERA AE SENHOR DESEMBARGADOR. VSA. EXCELÊNCIA HÁ DE CONVIR COMIGO, QUE OS DIREITOS DEVEM SER IGUAIS. GRATA.

  • EMILENE disse:

    por favor!!! esta muito claro que essas provas devem ser anuladas!! por inumeras falhas e muitas delas gravissíma,fiz a prova no turno da tarde,e constatei varias inrregularidades, foi muito desorganizdo,uma falta de respeito para com os concurseiros,esperava mais seriedade no concurso desse porte,estou muito descepsionada,espero que justiça seja feita e que o sr. desembargador venha tomar serias providências!!!!sou muito grata