Técnico Silas é demitido do Grêmio depois do jogo com Fluminense

Depois da derrota por 2 a 1 para o Fluminense, a direção do Grêmio informou que Silas não é mais técnico do time. O treinador foi elogiado pelo presidente Duda Kroeff, mas o momento ruim obrigou a mudança. Junto com ele, o assessor de futebol Luiz Onofre Meira também foi demitido. A pressão exercida pela torcida foi fundamental para a decisão.

gremio

Junto com Meira e Silas na sala de conferências do Olímpico, Duda Kroeff tomou a palavra e iniciou sua manifestação. “O momento do Grêmio é ruim, é sério e é grave. Parece que nada dá certo. Chegamos à conclusão que nada dá certo, estou então liberando o Meira e o Silas. É decisão minha, desde já agradeço aos dois”, disse o presidente Duda Kroeff. “Ele é um amigo, desejo que tenha muita sorte onde quer que seja”, completou

“A decisão foi totalmente minha, a pressão ajudou a decisão. Eu não posso sair, mesmo que tenham pedido. Eu não vou abandonar o Grêmio neste momento grave”, completou Duda.

Silas teve problemas com os jogadores do Grêmio nos últimos dias. Declarações polêmicas geraram um clima tenso. Souza reclamou que não foi aproveitado, Douglas afirmou que não iria correr pelos colegas e o ápice foi mais uma reclamação do meia, que criticou o esquema tático ao deixar o campo no final do primeiro tempo contra o Flu.

“Podem reclamar à vontade. O Conca joga na minha função e não marca ninguém, eu tenho que marcar os dois volantes, algo está errado”, disse Douglas.

“A cobrança é natural, a mudança é interessante. Nossa gestão visava voltar a vencer o Gauchão, e conseguimos. Depois disso acabamos entrando em uma série de derrotas. Não saímos da rota, mas retomamos as atividades de uma forma equivocada e não encaixamos”, disse Meira em sua despedida. “Sou gremista por amor, não levo rancor do clube. Saio consciente do trabalho que eu fiz e de cabeça erguida”, completou.

A torcida do Grêmio, além de vaiar muito durante a partida, reuniu cerca de 100 pessoas para reclamar em frente aos vestiários depois do jogo contra o Fluminense. Silas entrou na sala de conferências de cabeça baixa. Entristecido, o treinador disse que não teve contato do São Paulo.

“O São Paulo não me convidou para ir para lá, é um clube que tem ética, como o Grêmio e eu como profissional também tenho. Seria uma covardia da minha parte sair assim. Quem conviveu comigo nesses sete meses sabe como eu sou. Minha família está em São Paulo e fiquei somente ligado ao Grêmio neste tempo. Não vou embora de mãos vazias, pois conseguimos um campeonato, o Estadual. Fizemos uma campanha maravilhosa na Copa do Brasil e jogos memoráveis”, disse Silas.

O treinador também rebateu os boatos de que sua saída do Grêmio já estava acertada independentemente do resultado contra o Fluminense. “Foi uma mentira maldosa que nos prejudicou muito hoje [a possível ida para o São Paulo]. Disseram que eu teria me despedido dos jogadores, não era verdade. Não estou acostumado com este momento, para treinadores mais experientes isso passa mais rápido. Agradeço a todos que me ajudaram, aos atletas, dirigentes e fico muito feliz por tudo o que foi construído”, disse Silas.

“Peço desculpas ao torcedor por não ter oferecido mais a eles, mas nunca faltou empenho. O que me consola um pouco é que vejo profissionais com muito mais bagagem que eu sofrendo até mais”, completou.

Sobre ter perdido o grupo de jogadores, Silas citou a imprensa como razão para as declarações dos atletas. “Vocês da imprensa são espertos. Essa questão do Souza, por exemplo, ele veio falar comigo no vestiário do Serra Dourada. Muitas vezes vocês sabem tirar o que querem. Tem que achar notícia, não tem todos os dias. A pressão nunca existiu de fora para dentro, muito menos de dentro para fora. Sei que o presidente não quer me prejudicar, mas sim dar um novo ar ao Grêmio. Eu torço muito pelo sucesso do Grêmio e das pessoas que trabalham aqui. Nunca me faltou nada e saio muito mais forte do que cheguei”, referiu Silas. “Nunca houve aqui rebelião contra o treinador. O que houve aqui foi um excesso de lesões e cartões. Há também questões de dia a dia, mas se alcançou um objetivo”, acrescentou.

Silas encerra sua passagem pelo Grêmio com um título gaúcho e uma semifinal da Copa do Brasil. “Ainda não pensei em um substituto nem no perfil deste. Vamos aguardar para não errar”, disse Duda Kroeff. Ao todo, Silas comandou o Grêmio em 45 jogos, com 27 vitórias, 9 empates e 9 derrotas, o que totaliza um aproveitamento de 66,6%.

“É a hora do gremista de verdade. Estou liberando gente que estava fazendo um maravilhoso trabalho. Quero a união de todos, sei que o momento é grave, não é momento para política ou algo deste tipo. Conto com a participação de todos”, encerrou o presidente.

Ao sair da sala de conferências, Silas, Meira e Duda se abraçaram com olhos marejados. Alberto Guerra assume interinamente o comando do futebol do Grêmio e o novo treinador deve ser anunciado nos próximos dias.

O Grêmio é 18º no Campeonato Brasileiro. Na zona do rebaixamento há cinco rodadas e sem vencer há oito jogos, o time tricolor não tem definições para o novo técnico e o diretor de futebol.

Fonte:nominuto


Tags: , , , , , , , , , ,

Não encontrou o que queria? Pesquise abaixo no Google.


Para votar clique em quantas estrelas deseja para o artigo

RuimRegularBomMuito BomExcelente (Seja o primeiro a votar)
Loading...



Enviar postagem por email Enviar postagem por email